Os Guardiões
do Bem

NÃO À GORDOFOBIA!

Precisamos conscientizar a população sobre a gordofobia, como se chama o preconceito com quem está acima do peso. Uma brincadeira só é engraçada se todo mundo estiver se divertindo. Se alguém não está gostando, seja porque motivo for, está na hora de parar. Independentemente da idade, todos precisam falar para as pessoas que não tenham este tipo de atitude, mas, como fazer isso? Veja quatro passos para você ajudar os Super Saudáveis no combate à gordofobia.
• Converse com as pessoas sobre a importância de não tirar brincadeiras que atinjam a aparência e o corpo de outras pessoas.

• Fale com os seus amigos sobre a gordofobia e sobre como este tipo de atitude (se lembre que não é uma brincadeira!) magoa.

• Não tenha medo de falar para qualquer pessoa quando uma brincadeira te incomoda e, se achar que não está adiantando conversar com os amigos e amigas, procure um adulto para contar.

• Mesmo sendo criança, você pode mudar os pensamentos gordofóbicos das pessoas.

SER FELIZ
NA INFÂNCIA

Vamos escutar e ler esse texto junto com os Super Saudáveis?

Uns quilinhos a mais não podem tirar sua alegria, criança! Todos os dias temos oportunidades para deixar a tristeza de lado e ser feliz!

Todos os dias a gente pode conscientizar os nossos amigos e as pessoas sobre a gordofobia e o bullying e, assim, vamos ter uma sociedade melhor. Isso não é impossível. Pelo contrário: é mais fácil do que a gente pensa! Basta que todo mundo trate e faça com os outros apenas aquilo que gostaria que fizesse com você! Quem ia querer ser motivo de piada e brincadeiras sem graça?

Alimentação balanceada, fazer exercícios físicos e ter força de vontade para mudar o que devemos e queremos mudar são os primeiros passos para colocar nossa saúde em primeiro lugar! Depois, a gente precisa gostar de quem a gente é: gostar do nosso corpo – mesmo que ele tenha alguns quilinhos a mais -, gostar do nosso cabelo, da cor da nossa pele… desde que a gente esteja com a saúde em dia, o resto está tudo certo e cada um e cada uma é lindo à sua maneira. Somos todos diferentes, e isso é o que é legal: imagina que chato seria se todo mundo fosse igual?

Saúde em primeiro lugar

Nem todo magro é saudável
e nem todo gordo está doente!

Assim como ser magro não significa ter saúde, estar acima do peso também não quer dizer que a pessoa é doente. Um exemplo disso: os magros que não se alimentam corretamente, não realizam atividades físicas e mantêm hábitos não saudáveis (como fumar e beber) estão mais expostos a problemas de saúde do que os gordinhos – gordinhos mesmo, não obesos – que se cuidam, praticam esportes, não fumam e ingerem alimentos e bebidas saudáveis.

A pediatra Andréa Lasalvia afirma que os pais só vão saber se os filhos estão no peso normal quando forem para uma consulta médica. “Através do índice de massa corporal – medida usada para calcular se uma pessoa está no peso ideal – é que vamos saber se a criança está com o peso esperado para a sua idade. Caso dê alterado, ela será acompanhada por um nutricionista ou um endocrinologista para começar a ter novos hábitos alimentares saudáveis”, comentou Lasalvia.

Um exemplo disso é o da filha de Mickaelle Xavier, de 25 anos. “Minha filha chamada Laura tem quatro anos já faz dieta. Confesso que no começo foi um pouco difícil, mas Laura entendeu que isso era para o bem dela. Hoje ela já está voltando a ficar com o índice de massa corporal normal”, disse Mickaelle.

Chame alguém da sua família para ajudar e veja se você está com o peso recomendado de acordo com o índice de massa corporal (IMC). Caso ultrapasse, procure um pediatra!