Mari Periférica e Ana Cássia: união em prol de todas

Integrantes do grupo Cena Periférica trabalham unidas em nome das mulheres e comunidades

Mari Periférica (à esquerda, de preto) e Ana Cássia (de vermelho), desenvolvem atividades culturais em bairros da zona norte

Há cerca de seis meses, a rapper Lady Laay tem contado com um reforço especial em seus shows. Além de amiga, a também rapper Mariana Santos – ou Mari Periférica – tem a acompanhado em faixas divididas e em músicas as quais canta sozinha. A ideia é dar ênfase ao trabalho de Mari como compositora e intérprete, os dois já desenvolvidos no Cena Periférica, grupo formado em 2013, na zona norte do Recife, no qual é acompanhada pelos MCs Fábio Formiga, seu marido, e Reges, além da bgirl Ana Cássia.

Com 23 anos, Mari já é mãe de duas meninas, de quatro e dois anos de idade. Entre os cuidados com as pequenas, desloca tempo também para confeccionar, junto ao marido, camisetas que vendem para complementar a renda. Antes do show realizado durante a Semana Afro do Centro Cultural Daruê Malungo, chegou para a entrevista vestindo uma delas, estampada com o nome da Cena Periférica.

“No meu primeiro grupo, fui chamada para fazer somente backing vocal. Só que acabei escrevendo a letra de Conscientização, música que fala sobre a violência doméstica que vi minha mãe sofrer. Os caras pegaram a vibe na hora e me deixaram cantar também. Naquela época eu tinha uns 16 anos e ainda era praticamente a única mina nos rolês de rap que eu frequentava”, conta Mari.

Confira o MIC Aberto de Mari Periférica e de Ana Cássia

Ao lado de Laay, ela participou de eventos voltados especialmente à valorização do trabalho artístico feminino, a exemplo do Ciclo Internacional de Compositoras Sonora | Recife, em outubro, e do Sonoridades no Fábrica que, durante toda a tarde de 11/11, ocupou a área externa do Fábrica Estúdio, bairro da Várzea, com um lineup exclusivamente composto por mulheres cantoras dos mais diversos estilos, do rap ao canto lírico.

Lady Laay e Mari Periférica cantam juntas durante show no Festival Sonoridades no Fábrica, evento com foco na arte feita por mulheres

Esteve ainda na apresentação realizada no palco Aeso do Festival No Ar Coquetel Molotov 2017, sendo aplaudida pelo público majoritariamente feminino ao entoar versos da música Fora Temer, parceria com Laay que ganhou videoclipe com quase três mil visualizações no YouTube.

O refrão “Fora Temer /contesta a luta e não teme / pois o medo ainda é a maior arma do opressor / Povo quer diretas já / eles treme / é melhor se cuidar, Temer / a casa vai cair, usurpador” dialoga exatamente com grupos como Racionais MC’s e Facção Central, referências que a formaram no rap.

Leia também: O combate incisivo de Lady Laay

FORMAÇÃO

Bgirl desde que entrou no hip hop, Ana Cássia, 28 anos, também tem estado ao de Laay e Mari durante shows e eventos. A ideia é que, aos poucos, além de dançar, ela passe a compor e cantar, como método de vencer a própria timidez.

“É uma honra estar no Cena Periférica. Tenho escrito sobre preconceito, assédio sexual contra as mulheres, falo muito sobre isso, são essas as ideias”, conta Ana.

Juntas, ela e Mari trabalham também desenvolvendo atividades educativas, com foco na cultura hip hop, nas comunidades da zona norte. No Córrego do Deodato, organizaram evento, em meados de julho, com roda de diálogo, batalha de rima e mutirão de grafite.

“A gente pensa em dar continuidade ao projeto, levando-o para outras áreas, quem sabe o Compaz (centro comunitário sob administração da Prefeitura do Recife), onde dou aula de percussão. Se houver espaço para a gente chegar e ocupar, lá estaremos”, encerra Mari Periférica.