JotaQ

Acesse o site.

Trabalhar nesse projeto foi um desafio maior do que imaginei. Não que eu tenha realmente parado para avaliar as dificuldades: queria realizar algo relacionado à arte sequencial, e não abriria mão disso.

Durante minhas apurações e busca de contatos, aprendi que o estudo das histórias em quadrinhos é muito recente e ainda cheio de incertezas: sobre qual é a primeira HQ do mundo, de que ano é o primeiro jornalismo gráfico, quem produziu tal estilo antes, quem criou tal personagem, e a lista segue. Tentei apresentar todos os pontos de vista possíveis nesse trabalho, e quando encontrei pontas soltas, me aprofundei e tentei encontrar uma resposta. Nesse processo, acredito ter descoberto algo relevante para a banda desenhada: que a primeira HQ em Jornalismo Gráfico do mundo pode ter sido produzida por um recifense, onze anos antes do primeiro material registrado. Essa com certeza é uma das maiores contribuições que esse projeto pode oferecer para pesquisadores.

A maior preocupação de meus orientadores é com a linguagem informal que adotei para as matérias. Característica principal do estilo autoral de Jornalismo em Quadrinhos e, portanto, minha maior referência, eu não poderia deixar de fora. O JQ é parente do estilo literário.

Independente de qualquer empecilho, foi um prazer enorme me aprofundar no universo das histórias em quadrinhos, uma arte que tanto amo e admiro. Quero agradecer, primeiramente, a Cátia Ana, a talentosa artista da HQ On Line O Diário de Virgínia, que abrilhantou esse trabalho com o seu traço, me ajudando a tirar esse projeto do papel. Serei eternamente grato por sua amizade e consideração.

Também devo um “muito obrigado” a cada jornalista, quadrinista, pesquisador e entusiasta que ajudou com o conteúdo desse projeto. Não quero citar nomes com receio de esquecer alguém, mas todos vocês, sem exceção, foram importantes para essa conclusão.

Por fim, agradeço aos meus três orientadores, pelo direcionamento e montagem desse site. Espero que o trabalho conjunto de todos nós possa ser o suficiente para conseguirmos ser bem sucedidos diante a banca. É o que espero.

Autor: Ary Santa Cruz
Ilustrações: Cátia Ana
Orientadores: Álvaro Filho / Breno Carvalho
Webdesign: Breno Carvalho / Flávio Santos

Acesse o site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *